Latest Entries »

Palestra com Dr. Eric Pearl , do livro A Reconexão.

Palestra do Dr. Eric Pearl sobre a Cura Reconectiva .

Palestra no Rio do DR. Eric Pearl. E lançamento de seu livro no Brasil:A Reconexão.

Ontem à tarde na Gávea, Rio estive presente a uma palestra do Dr. Eric Pearl sobre a Cura Reconectiva. Nesse evento, ele nos relatou sua formação em quiropraxia e que , lá nos EUA, é uma formação médica, por isso, a  sua surpresa quando essas manifestações de cura começaram a acontecer em seu consultório. O relato impressionante de seus pacientes sobre a percepção do acontecia com eles,na maca,enquanto estavam sendo atendidos e as curas instantâneas( em muitos casos) e independente das crenças daquela pessoa. Muito impressionante seu relato , pois ele se coloca na condição de que algo se manisfestou através de suas mãos e as pessoas atendidas também perceberam isso e obtiveram cura para seus problemas de saúde. A partir daí, começa a busca para compreender esse fenômeno e também o aumento da fila de atendimento no seu consultório. Com isso, muitos médicos e cientistas , diante dessas curas inexplicáveis de seus pacientes atendidos pelo Dr. Pearl, começam a procurá-lo e também para fazerem pesquisas desse fenômeno.Vale a pena ler o livro e dar uma checada nessa nova visão de cura.

Anúncios

Grupo de Estudos às quintas


Criamos um grupo de estudos aberto às quintas, com a finalidade de CRIAR uma matriz de uma nova Consciência, que está se formando no Planeta. Lembram-se da estória do centésimo macaco? Quando o centésimo macaco, em uma ilha, aprende a lavar as batatas , a consciência se expande e todos os macacos de ilhas próximas obtêm esse conhecimento. Ou seja, o conhecimento se expande em redes. Assim, essa é a função desse grupo: expandir o conhecimento,trabalhando junto com vários outros grupos em todo o mundo.
Quem se interessar e estiver no Rio ou em Teresópolis é só entrar em contato por email por skype (há a possibilidade de ficar on line via skype e participar do grupo- novos tempos !
No momento, estamos lendo o Despertar de uma Consciência , do Eckhart Tolle. Livro esse que fala sobre como nos posicionarmos em relação ao Ego e também em vivenciar o estado de Presença. Estamos no capítulo 5 , que fala sobre o Corpo de Dor e como ele atua e se alimenta. Estar conscientes desses mecanismos pode ser libertador. Então até a próxima postagem.

ceciliamotta8@gmail.com

RODA DE MULHERES SABIAS – dia 1/5às 14:00
Roda de cura e gozoAtravés da qual nos “inteiramos”
e podemos voltar a ser mulheres inteirasQuando a gente consegue ficar inteira a plenitude vem junto também.E só ficamos inteiras, integras quando conseguimos tomar tudo o que foi e o que é no re-conhecimento do amor :
Nossa mulher menina, nossa mulher adolescente, nossa mulher adulta, nosso “ser mãe” e nossa mulher atual. Representadas numa dança de integração que vai além das histórias

O REENCONTRO COM NOSSA ANTIGA SABEDORIA
E NOSSO PROFUNDO E ESSENCIAL AMOR
QUE ENXERGA
QUE LIBERA
QUE ORDENA
QUE CURA

BASEADO NAS ORDEMS DO AMOR E COM DINÂMICAS DE CONSTELAÇOES FAMILIARES.
SONS , POESIAS E CANÇÕES QUE AJUDAM A RE-UNIR O QUE NO CAMINHO TRANSGERACIONAL FICOU SEPARADO OU
“PERDIDO”

Facilitadora terapeuta celebrante
TERESA CASTELLANOS
Investimento:R$200,00

Rio De Janeiro

rua dr. sebastião de aquino 14 b- ilha da gigoia barra da tijuca
Rio de Janeiro, Brazil
Email:ceciliamotta8@gmail.com

Conhecimento ancestral

Conhecimento que pode levar a curas!

De acordo com os ancestrais de diferentes partes de nosso mundo, nosso corpo
sente e pensa. Por exemplo, no caso dos ancestrais das tribos australianas,
quando uma pessoa se fere ou adoece, a tribo se reúne ao redor do enfermo e
canta pedindo perdão à ferida ou parte afetada. E esta começa
automaticamente a dar sinais de melhora e ocorrem curas milagrosas.

O mesmo ocorre nas assombrosas curas dos kahunas ou médicos magos havaianos.
Eles entram em oração direta com a parte afetada pedindo-lhe perdão. Esse
ato de oração envolve os magos, o paciente e todas as vidas durante as quais
eles possam ter se encontrado e se envolvido com essa pessoa. E também
ocorrem curas consideradas milagrosas.

No conhecimento ancestral inca, tudo é reciprocidade. Quando alguém adoece
ou se enche de energia pesada ou hucha, por ter atitudes egoístas, não
deixando fluir o sami ou energia leve. Por isso, nas curas se pede para
aquela parte do corpo se harmonizar com pachamama permitindo que o bloqueio
se reequilibre. E a pessoa se cura. No caso dos dakotas, na América do
Norte, eles falam com o corpo para informar-lhe que existe uma medicina que
vai curá-lo. E logicamente as pessoas se curam.

Como vemos, examinando alguns casos de medicina ancestral, chegamos a uma
interessante conclusão: os ancestrais aceitavam as partes de nosso corpo
como um ser completamente inteligente e autônomo do cérebro. Isso durante os
últimos séculos passou a ser considerado como fraude ou superstição.

Mas vejamos agora as descobertas mais recentes da ciência.
Você vai ficar estupefata (o).

A sabedoria do corpo é um bom ponto de acesso às dimensões ocultas da vida:
é totalmente invisível, mas inegável. Os investigadores médicos começaram a
aceitar este fato em meados dos anos oitenta. Anteriormente se considerava
que a capacidade da inteligência era exclusiva do cérebro. Então foram
descobertos indícios de inteligência no sistema imune e, logo a seguir, no
digestivo.

A INTELIGÊNCIA DO SISTEMA IMUNE

A Dra. Bert descobriu (e logo outros cientistas confirmaram) que existem
tipos de receptores inteligentes não só nas células cerebrais, mas em todas
as células de todas partes do corpo (chamaram inicialmente de
neuropeptídios). Quando começaram a observar as células do sistema
imunológico, por exemplo, as que protegem contra o
câncer, contra as infecções etc., encontraram receptores dos mesmos tipos
que os do cérebro.

Em outras palavras, suas células imunológicas, as que o protegem do câncer e
das infecções, estão literalmente vigiando cada um dos seus pensamentos,
cada emoção, cada conceito que você emite, cada desejo que tem. Cada pequena
célula T e B do sistema imunológico produz as mesmas substâncias químicas
produzidas pelo cérebro quando pensa. Isto torna tudo muito interessante,
porque agora podemos dizer que as células imunológicas são pensantes. Não
são tão elaboradas como as
células cerebrais, que podem pensar em português, inglês ou espanhol. Mas
sim, elas pensam, sentem, se emocionam, desejam, se alegram, se entristecem
etc. E isto é a causa de enfermidades, de stress, câncer etc. Quando você se
deprime, entram em greve e deixam passar os vírus que se instalam em seu
corpo.

A INTELIGÊNCIA DO SISTEMA DIGESTIVO

Há dez anos parecia absurdo falar de inteligência nos intestinos. Sabia-se
que o revestimento do trato digestivo possui milhares de terminações
nervosas, mas que eram consideradas simples extensões do sistema nervoso, um
meio para manter a insossa tarefa de extrair
substâncias nutritivas do alimento. Hoje sabemos que, depois de tudo, os
intestinos não são tão insossos. Estas células nervosas que se estendem pelo
trato digestivo formam um fino sistema que reage a acontecimentos externos:
um comentário perturbador no trabalho, um perigo iminente, a morte de um
familiar. As reações do estômago são tão confiáveis como os pensamentos do
cérebro, e igualmente complicadas.

A INTELIGÊNCIA DO FÍGADO

As células do cólon, fígado e estômago também pensam, só que não com a
linguagem verbal do cérebro. O que chamamos reação visceral é apenas um
indício da complexa inteligência destes milhares de milhões de células. Em
uma revolução médica radical, os cientistas acessaram uma dimensão oculta
que ninguém suspeitava: as células nos superaram em inteligência durante
milhões de anos.

A INTELIGÊNCIA DO CORAÇÃO

Muitos acreditam que a consciência se origina unicamente no cérebro.
Recentes investigações científicas sugerem, de fato, que a consciência
emerge do cérebro e do corpo atuando juntos. Uma crescente evidência sugere
que o coração tem um papel particularmente significativo neste processo.
Muito mais que uma simples bomba, como alguma vez se acreditou, o coração é
reconhecido atualmente pelos cientistas como um sistema altamente complexo,
com seu próprio e funcional cérebro. Ou seja, o coração tem um cérebro ou
inteligência. Segundo novas investigações no campo da Neurocardiologia, o
coração
é um órgão sensorial e um sofisticado centro para receber e processar
informação. O sistema nervoso dentro do coração (ou o cérebro do coração) o
habilita a aprender, recordar e tomar decisões funcionais independentemente
do córtex cerebral. Além da extensa rede de comunicação nervosa que conecta
o coração com o cérebro e com o resto do corpo, o coração transmite
informação ao cérebro e ao corpo, interagindo através de um campo elétrico.

E LEIA ISTO

O coração gera o mais poderoso e mais extenso campo elétrico do corpo.
Comparado com o produzido pelo cérebro, o componente elétrico do campo do
coração é algo assim como 60 vezes maior em amplitude, e penetra em cada
célula do corpo.
O componente magnético é aproximadamente 5000 vezes mais forte que o campo
magnético do cérebro e pode ser detectado a vários pés de distância do corpo
com magnetômetros sensíveis.

RECOMENDAÇÕES

As investigações do Instituto HeartMath sugerem que respirar com Atitude, é
uma ferramenta que ajuda a sincronizar seu coração, mente e corpo para
dar-lhe uma coerência psicofi-siológica mais poderosa. Ao usar esta técnica
regularmente experimente-a cinco vezes ao dia – você desenvolverá a
habilidade para realizar uma mudança de atitude durável. Respirando com
Atitude, você coloca o foco em seu coração e no plexo solar, enquanto
respira com uma atitude positiva. O coração automaticamente harmonizará a
energia entre o coração, a mente e o corpo, incrementando a consciência e a
clareza.

A Técnica de Respirar com Atitude

Coloque o foco em seu coração enquanto inala.

Enquanto exala coloque o foco no plexo solar.

O plexo solar se encontra umas quatro polegadas debaixo do coração,
justamente debaixo do esterno onde os lados direito e esquerdo da caixa
torácica se juntam.

Pratique inalar através do coração e exalar através da caixa torácica
durante 30 segundos ou mais para ajudar a ancorar sua atenção e sua energia
ali. Depois escolha alguma atitude ou pensamento positivo para inalar ou
exalar durante esses 30 segundos ou mais. Por exemplo, você pode inalar uma
atitude de estima e exalar uma de atenção.

Pratique diferentes combinações de atitudes que você queira desenvolver.
Pode dizer em voz alta: Respiro cura, Respiro Sinceridade, Respiro Coragem,
Respiro Tranqüilidade, Respiro Gratidão ou qualquer atitude ou sentimento
que você queira ou necessite. Inclusive, se você não sente a mudança de
atitude a princípio, mesmo fazendo um esforço genuíno para mudar, lhe
ajudará a alcançar um estado neutro, no qual você terá mais objetividade e
poupará energia.

O QUE LHE PARECE? OS ANCESTRAIS TINHAM RAZÃO? O QUE VOCÊ ACHA?

Grupo de Constelações 05/09/2010

 

Estamos agendando as pessoas para esse Grupo no dia 5/9. Será em Copacabana .Quem estiver interessado entrar em contato .

Essa terapia revela onde se encontram conflitos da Alma familiar da pessoa.Questões como padrões repetitivos na família,depressões,questões financeiras e outras dificuldades podem ser trabalhadas através dessa abordagem.

Facilitadoras: Valéria e  Cecília

                                   Maiores informações:

                                                                                                          21 81422670 Cecilia

                                                                                                             21 99994855 Valéria

O pesquisador elaborou ainda uma lista com os 10 mandamentos do estilo de vida Mediterrâneo, incluindo o que se deve e o que não se deve fazer.

viaCientista destaca ingredientes sagrados da alimentação mediterrânea.

Celebração da Lua Cheia de agosto 2010

A Celebração da Lua cheia se configurou num grupo muito homegêneo e interessado nesse caminho de autoconhecimento.E nossa amiga Tila fez uma linda poesia com as palavras que cada um expressou em relação ao trabalho da noite:

                                A força dança em paz sim.

                          refletir encontro/amor
                         equilibrar/amadurecer… 
                           na paz dentro de si,
                              interação, luz
                              em movimento,
                                   silêncio.
                                   leveza…
                                   alegria !
                                 

Biologia das crenças

A BIOLOGIA DAS CRENÇAS

O cientista que ajudou a revolucionar a biologia, ao examinar as reações químicas nas células apoiado na física quântica, afirma que é a mente que modela a vida das pessoas Por Mônica Tarantino e Eduardo Araia Um respeitado pesquisador de células-tronco, o norte-americano Bruce Lipton rompeu as fronteiras da biologia tradicional ao incorporar a ela conceitos da física quântica. Idéias surgidas a partir dessa ótica, como a equivalência da membrana celular ao “cérebro” das células e o controle que o ambiente exerce sobre as células a partir de suas membranas, confirmam a íntima relação mente-corpo e indicam como podemos usar os pensamentos para assumir o controle de nossa vida. Lipton relata sua extraordinária trajetória em “A Biologia da Crença” (Ed. Butterfly), tema da entrevista a seguir. PLANETA – O que é a “nova biologia” a que o senhor se refere em seu livro? Bruce Lipton – Quando introduzi esses conceitos, em 1980, quase todos os meus colegas cientistas os consideraram inverossímeis. Mas a profunda revisão que a biologia convencional tem feito desde aquela época a leva hoje às mesmas conclusões a que cheguei 25 anos atrás. Os cientistas sabem que os genes não controlam a vida, mas a maior parte da imprensa ainda informa ao povo o contrário. As pessoas atribuem inicialmente suas deficiências e doenças a disfunções genéticas. As crenças sobre os genes levam-nas a se ver como “vítimas” da hereditariedade. Os biólogos convencionais ainda consideram que o núcleo (o componente interno da célula que contém os genes) “controla” a vida, uma idéia que enfatiza os genes como o fator primário desse controle. Já a nova biologia conclui que a membrana celular (a “pele” da célula) é a estrutura que primariamente “controla” o comportamento e a genética de um organismo. A membrana contém os interruptores moleculares que regulam as funções de uma célula em resposta a sinais do ambiente. Para exemplificar: um interruptor de luz pode ser usado para ligá-la ou desligá-la. O interruptor “controla” a luz? Não, já que ele é controlado pela pessoa que o aciona. Um interruptor de membrana é análogo a um interruptor de luz quando liga ou desliga uma função celular, ou a leitura de um gene – mas ele é, de fato, ativado por um sinal do ambiente. A nova biologia enfatiza o ambiente como o controle primordial na biologia. Sua teoria também está relacionada à física quântica… Pela medicina convencional, os “mecanismos” físicos que controlam a biologia se baseiam na mecânica newtoniana, a qual enfatiza o reino material (átomos e moléculas). Já a nova biologia considera que os mecanismos da célula são controlados pela mecânica quântica. Ela se concentra no papel das forças de energia invisíveis que formam, coletivamente, campos integrados e interdependentes. Para a mecânica quântica, as forças invisíveis em movimento nos campos são os fatores fundamentais que modelam a matéria. Os cientistas também reconhecem que as moléculas do corpo são controladas por freqüências de energia vibracional, de forma que a luz, o som e outras energias eletromagnéticas influenciam profundamente todas as funções da vida. Entre as forças energéticas que controlam a vida estão os campos eletromagnéticos gerados pela mente. Na biologia convencional, a ação da mente não é incorporada à compreensão da vida. Por isso, é uma surpresa a medicina reconhecer que o efeito placebo responde por pelo menos um terço das curas médicas, incluindo cirurgias. Ele ocorre quando alguém sara devido à sua crença de que um remédio ou procedimento médico vai curá-lo, mesmo se o medicamento for uma pílula de açúcar ou o procedimento for uma impostura. A nova biologia ressalta o papel da mente como o fator primordial a influenciar a saúde. Nessa realidade, uma vez que controlamos nossos pensamentos, tornamo-nos mestres de nossa vida, e não vítimas dos genes. Em que a nova biologia difere do darwinismo? Ela frisa que a evolução não é conduzida pelos mecanismos sublinhados na biologia darwiniana. A teoria de Darwin oferece dois passos básicos para explicar como a evolução ocorreu: 1) mutação aleatória, a crença de que as mutações genéticas são randômicas e não influenciadas pelo meio ambiente – a evolução é conduzida por “acidentes”; 2) seleção natural, na qual a natureza elimina os organismos mais fracos numa “luta” pela existência, na qual há vencedores e perdedores. Em A Biologia da Crença, Lipton (alto) explica a íntima relação entre mente e corpo e o poder do pensamento na cura. Novas descobertas oferecem uma imagem diferente. Em 1988, uma pesquisa revelou que, quando estressados, os organismos têm mecanismos de adaptação molecular para selecionar genes e alterar seu código genético. Ou seja, eles podem mudar sua genética em resposta a experiências ambientais. Outros estudos mostram que a biosfera (todos os animais e plantas) é uma gigantesca comunidade integrada que se baseia em uma cooperação das espécies. A natureza não se importa com indivíduos numa espécie, mas com o que a espécie como um todo está fazendo para o ambiente. Segundo a nova biologia, a evolução: 1) não é um acidente; 2) baseia-se em cooperação. Uma teoria mais recente sobre o tema ressaltaria a natureza da harmonia e da comunidade como uma força motriz por trás da evolução. Como o senhor concluiu que podemos comandar e mudar nossas células e genes? Minhas primeiras idéias científicas basearam-se em experiências que comecei em 1967, usando culturas de células- tronco clonadas. Nesses estudos, células geneticamente idênticas foram inoculadas em três placas de cultura, cada qual com um diferente meio de crescimento. Em uma placa, as célulastronco se tornaram músculo; em outra, células ósseas; na terceira, células de gordura. Meus resultados, publicados em 1977, revelam que o ambiente controlou a atividade genética das células. Esses estudos mostram que os genes propiciam o surgimento de células com “potenciais”, os quais são selecionados e controlados pela célula a partir de condições ambientais. As células ajustam dinamicamente seus genes de forma que eles possam adaptar-se às demandas do ambiente. Mais tarde, descobri que a membrana celular equivalia ao cérebro da célula. No desenvolvimento humano, a pele embriônica é a precursora do cérebro. Nas células e no ser humano, o cérebro lê e interpreta a informação ambiental e então envia sinais para controlar as funções e o comportamento do organismo. Quem está no comando do nosso corpo? Nas primeiras semanas do desenvolvimento do embrião, os genes basicamente controlam o desenvolvimento do plano corporal de um humano (criam dois braços, duas pernas, etc.). Uma vez que o embrião toma a forma humana (torna-se um feto), os genes assumem uma posição secundária, controlando o desenvolvimento do corpo pela informação ambiental. Durante esse período, a estrutura e a função do corpo fetal são ajustadas em resposta à percepção do ambiente da mãe, que, via placenta, influencia a genética e a programação comportamental do feto. A “leitura” dos sinais ambientais (no útero e após o nascimento) capacita as células do corpo e seus genes a fazer ajustes biológicos para sustentar a vida. Como os sinais ambientais são lidos e interpretados pelas “percepções da mente”, a mente se torna a força básica que, em última instância, modela a vida de uma pessoa. Como os campos energéticos controlam a bioquímica do corpo? As funções do corpo derivam do movimento das moléculas (basicamente proteínas). As moléculas mudam de forma em resposta a cargas eletromagnéticas ambientais. Influências físicas tais como hormônios e remédios podem oferecer essas cargas elétricas indutoras de movimento. Mas campos de energia vibracional harmonicamente ressonantes também fazem as moléculas mudar de forma e ativar suas funções. Enzimas de proteínas podem ser ativadas num tubo de ensaio por substâncias químicas e por freqüências eletromagnéticas, como ondas de luz. Podemos evitar doenças enviando mensagens positivas para nossas células? Só 5% das doenças humanas são relacionadas a defeitos genéticos de nascença. Portanto, 95% de nós nascemos com um genoma adequado a uma vida saudável. Para os doentes dessa maioria, a pergunta é: por que estamos tendo problemas de saúde? Reconhece-se hoje que o estilo de vida causa mais de 90% dos problemas de coração, mais de 60% dos casos de câncer e, talvez, todos os casos de diabete tipo 2. Quanto mais olhamos, mais vemos como nossas emoções, reações à vida, dieta pobre, falta de exercício e estresse modelam nossa vida. Como temos um controle significativo sobre nosso organismo, podemos reprogramar a saúde e a vida com nossas intenções. Se de fato soubessem como o seu organismo funciona, as pessoas poderiam influenciar sua saúde, e isso seria o melhor preventivo para a doença. É possível remodelar nossos pensamentos mais profundos? O problema é que não entendíamos como a mente trabalha. Temos duas mentes, a consciente e a inconsciente. Associamos a primeira à nossa identidade pessoal – é a mente pensante, racional. A mente subconsciente opera sem a supervisão da consciente – é a “mente automática”. Se as crenças da mente subconsciente conflitarem com os desejos da mente consciente, quem ganhará? A resposta é clara: a mente subconsciente, pois ela é uma processadora de informações um milhão de vezes mais poderosa do que a outra e, como os neurocientistas revelam, opera em torno de 95% do tempo. Pensávamos que se a mente consciente se tornasse cônscia de nossos problemas, automaticamente corrigiria quaisquer programas negativos descarregados na mente subconsciente. Mas isso não funciona, porque a mente subconsciente é como um gravador – ela grava comportamentos (os fundamentais, na maioria, são armazenados antes dos seis anos de idade) e, ao se apertar um botão, o programa será repetido incontáveis vezes (hábitos). Não existe uma “entidade” na mente subconsciente que “ouça” o que a mente consciente quer. Pensamentos positivos funcionam quando a meta desejada é apoiada pelas intenções da mente consciente e pelos programas da mente subconsciente. Quanto a isso, existem três maneiras de mudar crenças velhas, limitantes ou sabotadoras na mente subconsciente: a meditação budista mindfulness, a hipnoterapia clínica e a chamada “psicologia da energia”. Todos esses métodos são discutidos na seção “Resources” do meu site (www.brucelipton.com).

Medicina Oficial inicia reconhecimento Tecnico para as “Doenças da Alma” – Após a Faculdade de Medicina da USP, instituir no currículo de Medicina como Disciplina Obrigatória a Cátedra “Medicina e Espiritualidade” com coordenação do conhecido e competente Médico Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, esclarecemos os seguites pontos: É urgente um profundo estudo e uma nova postura da medicina oficial frente aos desafios da espiritualidade, a Obsessão como Doença Espiritual é reconhecida pela Medicina “Extra-oficialmente” e não pode deixar de ser avaliada e estudada com critério científico. Na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios clássicos, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do ser e, com isso, não levar em consideração a existência da alma, do espírito. Desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social. Antes, a OMS definia saúde como o estado de completo bem-estar biológico, psicológico e social do ser humano e desconsiderava o bem estar espiritual, isto é, o sofrimento da alma; tinha, portanto, uma visão reducionista, organicista da natureza humana, não a vendo em sua totalidade: mente, corpo e espírito. Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: biológico, psicológico e espiritual. Desta forma, a obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado de transe, que é um item do CID – O Código Internacional de Doenças – que permite o diagnóstico da interferência espiritual Obsessora. O CID 10, item F.44.3 – Define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio-ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença. Os casos, por exemplo, em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença. Neste aspecto, a alucinação é um sintoma que pode surgir tanto nos transtornos mentais psiquiátricos -nesse caso, seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura- bem como na interferência de um ser desencarnado , a Obsessão espiritual. Portanto, a Psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios. O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria – DSM IV – alerta que o médico deve tomar cuidado para não diagnosticar de forma equivocada como alucinação ou psicose, casos de pessoas de determinadas comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas, porque isso pode não significar uma alucinação ou loucura.; Na Psicologia, Carl Gustav Jung, discípulo de Freud, estudou o caso de Uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas. Na prática, embora o Código Internacional de Doenças (CID) seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas. Em minha prática clínica,( também praticada por Ian Stevenson) a grande maioria dos pacientes, são rotulados pelos psiquiatras de “psicóticos” por ouvirem vozes (clariaudiência) ou verem espíritos (clarividência), na verdade, são médiuns com desequilíbrio mediúnico e não com um desequilíbrio mental, psiquiátrico. (Muitos desses pacientes poderiam se curar a partir do momento que tivermos uma Medicina que leva em consideração o ser integral). Portanto, a obsessão espiritual como uma enfermidade da alma, merece ser estudada de forma séria e aprofundada sendo responsabilidade profissional da Medicina, que tem a função de proporcionar Saúde Integral ao Ser Humano (Física – Mental – Social e ESPIRITUAL) , não se limitanto ao Corpo Físico.